As profundeza do universo

Física

 

INTRODUÇÃO

Este WebQuest pretende que os alunos utilizem uma abordagem metódica, pensamento analítico, criatividade, trabalho em equipa, colaboração e recursos da Internet para pesquisar, aprender e realizar tarefas relacionadas com os objetos misteriosos e fascinantes no nosso Universo.

 

Já olhou para o céu noturno deslumbrado com os pontos brilhantes? São fascinantes, certo? A misteriosa beleza da noite abrandou a mente e a curiosidade das pessoas durante séculos. Vamos mergulhar nas profundezas do Universo e descobrir se o cientista revelou alguns dos seus segredos.

Tópicos:


#1:PlanetSecret
#2:StarSecret
#3:PulsarSecret
#4:NebulaSecret
#5:GalaxySecret
#6:QuasarSecret
#7: Blackhol

TAREFA

O objetivo deste WebQuest é ajudá-lo a descobrir o investigador e cientista que existe dentro de cada aluno. Esta atividade permite desenvolver e melhorar as competências para uma abordagem metódica para a resolução de problemas, um alto nível de organização, pensamento analítico, capacidades para investigar.

Os alunos devem trabalhar em grupos de 2 a 4 pessoas que trabalham em equipa e partilhar a informação recolhida com os outros membros da equipa. Cada equipa deve selecionar um dos tópicos acima referidos (introdução) e distribuir o trabalho entre os alunos que fazem par elementos da equipa. Cada equipa deve encontrar recursos que abordem o tópico selecionado, fazer pesquisas e, eventualmente, preparem uma apresentação ppt.

A informação dentro da apresentação deve ser bem organizada, factual e bem formada. É importante demonstrar um bom nível de utilização da Internet e da tecnologia.

PROCESSO

Em primeiro lugar, separe os recursos fornecidos dos que encontrar por conta própria entre os membros da equipa.

Gere uma linha temporal com 6 missões espaciais significativas e/ou pessoas que se relacionam com o seu tópico de pesquisa. Cada aluno deve escolher uma missão espacial ou uma pessoa e fazer uma pesquisa mais aprofundada. Partilhe a informação com outros elementos da equipa e prepare a apresentação.

 

Passo de preparação: Escolha os seus companheiros de equipa.  Formar grupos de 2 a 4 alunos.

 

Passo 1: Prepare-se para conhecer os segredos do Universo:

Segredo #1: Big Bang
Segredo #2: Planeta
Segredo #3: Estrela
Segredo #4: Pulsar
Segredo #5: Nebulosa
Segredo #6: Galaxy
Segredo #7: Quasar
Segredo #8: Buraco negro

                       

Passo 2:

Depois de adquirir uma informação básica e compreensão deste pequeno pedaço de segredos escolha um deles para fazer uma nova pesquisa.  Por exemplo, sobre temas como estes objetos foram formados, quando foram encontrados, quem os encontrou, que equipamento é usado para observar o objeto celeste que você escolheu.  Assim que decidir quais os temas objetos da sua pesquisa, distribua-os entre os membros da equipa.

 

Passo 3:

Veja informações sobre missões espaciais ou cientistas que contribuíram para expandir o nosso conhecimento sobre o tópico que escolheu no passo 2.   Cada aluno deve escolher uma missão espacial ou uma pessoa e fazer uma pesquisa mais profunda.  É seguro ir em missão espacial?  E é barato?

 

Passo 4:

Agora sabe mais sobre o universo e as formas como o estudamos. Descobriu segredos que foram revelados, mas também os riscos que foram assumidos.  Dê a sua opinião sobre a exploração espacial.  É desperdício de dinheiro ou ajuda a humanidade a evoluir e desenvolver-se.  Consulte os links abaixo para formar uma opinião.

 

Passo 5:  

Faça uma apresentação e partilhe  as suas descobertas na aula. Aqui está uma sugestão de estrutura da apresentação:

  • Introdução.
  • Conceitos e teorias-chave e a sua evolução ao longo do tempo, recolhidas no Passo 2.
  • Fale sobre os cientistas e/ou missões espaciais que pesquisou. (Passo 3)
  • Expresse a sua opinião sobre a exploração espacial. Dê argumentos.
  • Discuta com os seus colegas. O que pensam da exploração espacial.

RECURSOS

https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level1/universe.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/universe.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/cosmology.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/milky_way.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/quasars.html  https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/black_holes.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/galaxies.html 
https://starchild.gsfc.nasa.gov/docs/StarChild/universe_level2/stars.html 
https://www.enchantedlearning.com/subjects/astronomy/stars/lifecycle/ 
http://btc.montana.edu/ceres/html/LifeCycle/starsbackground.htm 
https://www.space.com/1858-galactic-collisions-fast-frequent.html 
https://www.space.com/2258-black-holes-bound-merge.html 
https://www.space.com/supermassive-black-hole-barely-spinning.html 
http://www.galex.caltech.edu/newsroom/glx2012-04f.html 
https://www.jpl.nasa.gov/stars-galaxies/ 
https://home.cern/news/series/lhc-physics-ten/breaking-new-ground-search-dark-matter 
https://home.cern/science/physics/dark-matter 
https://home.cern/science/physics/early-universe 
https://www.nobelprize.org/prizes/physics/2011/summary/ 
https://www.jpl.nasa.gov/edu/learn/video/solar-system-size-and-distance/ 
https://eyes.nasa.gov/apps/orrery/#/home 
https://www.jpl.nasa.gov/edu/events/2020/10/1/see-a-blue-moon-on-halloween/ 
https://imagine.gsfc.nasa.gov/features/cosmic/farthest_info.html 
https://www.wired.co.uk/article/distant-universe-big-bang 
https://www.wired.co.uk/article/oldest-star-universe-milky-way-much-older-than-thought 
https://www.space.com/25303-how-many-galaxies-are-in-the-universe.html 
https://theconversation.com/new-clues-in-the-search-for-the-oldest-galaxies-in-the-universe-129612 

CONCLUSÃO

"Tudo o que precisas de saber por enquanto é que o universo é muito mais complicado do que possas pensar, mesmo que comeces de uma posição de pensar que é bastante complicado em primeiro lugar."

 Douglas Adams

 

Após a conclusão deste WebQuest, o aluno deverá ser capaz de, desenvolver competências inerentes à:

  • realização de pesquisas em ambientes online para completar uma tarefa definida
  • utilização de habilidades de pensamento criativo para desenvolver um projeto com pares
  • prática do pensamento inovador através do trabalho em equipa
  • utilização de habilidades de pensamento crítico para avaliar ideias

 

Além disso, os alunos deverão ser capazes de:

  • aprender a praticar trabalho de equipa através da participação ativa do grupo;
  • aprender a usar as suas mentes, as suas vozes e os seus ouvidos para se envolverem construtivamente e colaborarem com os outros;
  • desenvolver um sentimento de confiança e crença em si mesmos e na sua tomada de decisão;
  • aprender a comunicar eficazmente (usando palavras escritas e faladas, linguagem não-verbal, ferramentas digitais e habilidades de audição).

AVALIAÇÃO das aprendizagens

Nesta seção  não são abordados muito profundamente as teorias educativas subjacentes sobre avaliação e testes: há muita coisa que poderíamos colocar neste pequeno relatório de projeto.

Em vez disso, queremos concentrar-nos nos procedimentos que permitam tanto aos alunos como aos seus professores determinar se os objetivos de aprendizagem do Webquest foram alcançados e, de forma positiva, em que medida. Recomendamos que os professores utilizem um procedimento de avaliação comum, que consiste em:

  1. Declarações do aluno (depois de ter sido solicitado a fazê-lo)
    • dizer o que ele aprendeu sobre o assunto (autoavaliação orientada para o conhecimento): agora (depois de passar pelo Webquest) sei que...
    • dizer o que aprendeu sobre si mesmo (avaliação formativa, neste caso autoavaliação de diagnóstico): agora (depois de realizar a Webquest) eu sei sobre mim mesmo que eu ...
      Este conjunto de declarações básicas somam-se a um chamado relatório de aprendizagem, no qual o aluno reflete sobre o que o Webquest lhe trouxe em termos de conhecimento adquirido e novas visões e atitudes  em relação ao assunto.

    Por exemplo:

    • "Aprendi que nos tempos medievais a higiene das pessoas não era uma preocupação que ajudasse a deixar que doenças epidémicas como a Peste causassem tantas baixas" ou: "Aprendi factos e sei que a Terra está a aquecer, mas não consigo entender porque é que  as pessoas foram tão irresponsáveis para poluir o mundo e deixá-la aquecer tanto.
    • "Aprendi que este assunto é mais apelativo para mim do que eu esperaria antecipadamente: talvez deva considerar uma carreira médica". Ou:
      'Os Webquests confirmam o que eu já pensava: Não me importo com o clima e o aquecimento Na verdade,  pensava e ainda penso  que é tudo uma farsa e eu ainda penso!

    O  tipo de avaliação parece mais subjetivo do que é: no seu trabalho padrão de teste e avaliação (e muito mais), simplesmente chamado metodologia (1974), o Prof. A.D. de Groot descreveu como as  ações auto-avaliação do aluno pareciam ser consistentes: quando questionado novamente após 5 ou 10 anos, a sua avaliação seria quase a mesma. De Groot aconselhou os professores a usarem o relatório do aluno como um início para avaliações conjuntas, caminhando para um consenso entre professor e aluno sobre os resultados da aprendizagem e o seu valor para o aluno, mas também comparado com os objetivos de aprendizagem, tal como indicados no currículo.

  2. As realizações de aprendizagem são visíveis na produção realizada pelos alunos: é evidência física: relatórios, respostas a perguntas colocadas no Webquest, apresentações, performance durante apresentações (de preferência gravadas). O professor completa uma grelha de avaliação que indica claramente quais são os resultados de aprendizagem para o aluno. As categorias na grelha podem ser modificadas pelo professor para cobrir mais especificamente o conteúdo de um Webquest.
    Nós aconselhamos os professores a utilizar a grelha para iniciar uma  discussão de avaliação conjunta, visando a consenso ou, pelo menos, o entendimento entre o professor e o aluno sobre os resultados da aprendizagem: se forem alcançados (como previsto no currículo  e comunicado antes do Webquest começar) e em que medida?  Comunicar claramente os objetivos de aprendizagem antes de qualquer atividade de aprendizagem começar, é um requisito de transparência que é amplamente reconhecido na comunidade educativa. A história de tornar explícitos os objetivos de aprendizagem remonta à avaliação 'Bíblia' de Bloom, Hastings e Madaus: "Manual sobre avaliação formativa e sumativa da aprendizagem dos alunos" (1971), um trabalho padrão que também serviu de inspiração para o anteriormente mencionado Prof. De Groot.

O procedimento também se aplica quando alunos trabalharam juntos  num  Webquest.  O professor vai fazer perguntas sobre  contribuições individuais: "O que encontrou?  Qual a parte que escreveu?  Como é que se sabe as ilustrações?  Quem fez a apresentação final?

Todas as provas (de esforços de aprendizagem e resultados mais avaliações conjuntas) estão preferencialmente armazenadas no portfólio de aprendizagem do aluno, ou em qualquer outro sistema de armazenamento adequado (pastas com documentos escritos ou impressos, recolha online de ficheiros, etc. ).

Mudanças de pontos  de vista pessoais e os sentimentos pessoais são mais difíceis  de avaliar e aqui o consenso entre professor e aluno sobre a experiência durante  o processo de aprendizagem  fornece informações essenciais.

A grelha abaixo dá um exemplo de como a avaliação do processo de aprendizagem e os objetivos podem ser trabalhados: que tipo de reações ao Webquest espera e quão valiosas são? O professor é capaz de explicar o valor ou pontuação atribuído a respostas ou apresentações dadas pelos alunos?  O aluno compreende os resultados da avaliação e concorda?  Se um acordo (consenso não é possível, ainda é o professor que decide como valorizar o trabalho do aluno.

Por favor, note que o texto na grelha aborda diretamente o aluno: isto   é importante e é, de facto, um pré-requisito para a utilização da referida grelha de avaliação: destina-se especificamente a permitir uma discussão sobre a aprendizagem entre professor e aluno e não comunicar as  aprendizagens dos alunos a outros que não tiveram qualquer papel direto no Webquest.

grelha de avaliação

 

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

©2019 sCOOL-IT. All Rights Reserved.
Designed & Developed by PCX Management