Pandemias e COVID 19: passado, presente e futuro

Ciências biológicas

 

INTRODUÇÃO

This WebQuest is intended to work searching, presenting, and assessing information about COVID 19 and the other pandemics and epidemics that shocked the world. Students will also receive information to put into practice about how to work in a group, how to make videos/presentations/websites and how to manage peer learning.

O novo coronavirus que causa o COVID-19 tomou rapidamente conta das nossas vidas. Alguns comentadores estão a prever que o Coronavírus vai mudar a forma como vivemos, estando subjacente que "as coisas nunca mais serão as mesmas”. Vamos certamente lembrar-nos desta pandemia para o resto das nossas vidas. À medida que lidamos com as realidades do dia-a-dia de uma doença mundial, muitos de nós estamos simplesmente à espera que a pandemia acabe. Mas há uma possibilidade preocupante olhando para a origem da atual crise: o COVID-19 pode nunca desaparecer. Há uma hipótese muito real de o novo Coronavírus se tornar endémico na população humana, tal como a gripe. Se assim for, podemos viver com o COVID-19 por muito tempo

Os humanos sempre foram atacados por agentes patogénicos. Antes do COVID-19 muitas outras pandemias e epidemias chocaram o mundo (por favor, veja o anexo "Pandemias antes do Covid 19).
Até ao desenvolvimento da teoria microbiana, e das técnicas assépticas, as pessoas não entendiam porque é que ficavam doentes ou como tratar eficazmente as doenças.

 

TAREFA

  1. Nesta webquest, você terá que formar um grupo de "investigadores" composto por 3/4 alunos cada. Terá que investigar uma doença transmissível relacionada com uma Pandemia ou epidemias. Terá de começar a ver os seguintes recursos de vídeo e a encontrar outras informações relevantes na net.

 

  1. Após a pesquisa e seleção de informações, publicará as suas descobertas como powerpoint ou apresentação prezi, um vídeo, um website ou qualquer outro meio de comunicação que possa ser viável para apresentações.

 

  1. Uma vez elaborada a sua apresentação/site/vídeo, tem de ser apresentada ao resto da turma (todas as apresentações têm de ser apresentadas). Isto é importante para partilhar informações com os seus colegas. Cada grupo tem de avaliar o trabalho realizado pelos restantes grupos. Este passo vai permitir aprender a fazer avaliação entre pares.

 

  1. No final, cada grupo (depois da avaliação entre pares) terá de escrever um artigo sobre as doenças selecionadas, indo que o artigo será publicado num jornal científico.

 

PROCESS AND RESOURCES

Determine que doença gostaria de investigar juntamente com os colegas do seu grupo. Sugerimos grupos de 3 ou 4 alunos.

Nesta investigação, você só terá por objetivo apenas doenças transmissíveis, ou seja, aquelas doenças que podem ser transmitidas de pessoa para pessoa. (Isto exclui as doenças genéticas, os diferentes tipos de cancro e as doenças autoimunes). A lista de doenças pode ser um bom lugar para começar se não tiver certeza das doenças aceitáveis. O trabalho é um projeto de grupo e, idealmente, não pode haver dois grupos a fazer o estudo sobre a mesma doença

terá de encontrar informações específicas sobre a doença. Pode incluir mais informações se quiser, mas certifique-se de que tem as seguintes perguntas respondidas na sua apresentação. Para desencorajar o plágio, copie cada uma das perguntas num cartão 5x7 e escreva, à mão, as suas descobertas. Registe os websites que visitou para obter informações. Você pode querer fazer esta parte separadamente, e em seguida, reunir-se com o seu grupo para comparar o que encontraram e decidirem o que será incluído na apresentação final. Terá de apresentar pelo menos 8 cartões.

  1. Qual é a história da doença, onde foi descoberto pela primeira vez?
  2. Quais são os sintomas da doença? Como é diagnosticado?
  3. Como é que uma pessoa contrai a doença?
  4. Qual é o prognóstico para o paciente? (Quanto tempo vai ficar doente, poderá morrer, são contagiosos, haverá efeitos persistentes..)
  5. Como pode a doença ser tratada ou curada?
  6. Como pode a doença ser prevenida? Existem vacinas ou antibióticos?
  7. Qual é o futuro desta doença, seremos capazes de alguma vez encontrar a cura? A doença poderá ser útil de alguma outra maneira?
  8. Factos interessantes ou curiosidades sobre a doença, casos interessantes ou pessoas famosas (ou não) relacionadas com a doença.

decidir em grupo, como apresentará o seu tópico, use os cartões de notas como guião para decidir como fará a apresentação. O seu professor pode ou não pedir uma apresentação oral. A seguinte lista de recursos pode ajudá-lo a decidir qual é a melhor escolha para o seu grupo e tópico.

Encontre algumas sugestões abaixo

  • para fazer sites

Flash Site Builders – estes editores de arrastar e largar, são muito fáceis de usar e a maioria oferece opções gratuitas limitadas. Inscreva-se numa conta e use os seus modelos para construir a sua apresentação. Weebly.com, Webs.com, yola.com

  • para fazer apresentações

Microsoft PowerPoint - PowerPoint é uma ferramenta familiar onde os slides contêm imagens e informações em que se pode avançar de forma linear. Pode ter o Microsoft no seu computador, ou pode usar docs.google.com ou  sliderocket para criar apresentações que podem ser armazenadas, partilhadas e publicadas online.

Lembre-se de incluir um slide final ou secção que cite os recursos utilizados, URL (endereções da web) são aceitáveis.

Se optar por fazer vídeos, pode simplesmente utilizar a sua câmara de vídeo ou telemóvel.

  Extenso/Preciso 5 pontos Presente
3 Pontos
Não é evidente.
1 Ponto
  Informação História      
Sintomas      
Diagnóstico      
Prognóstico      
Tratamento      
Prevenção      
Futuro      
Apresentação Organização      
Imagem/design      
Eficácia      
         
TOTAL (de 50)  

 

CONCLUSÃO

Tendo agora concluído esta webquest, você deve saber mais sobre epidemias/pandemias de diferentes áreas das ciências biológicas, mas também como trabalhar em grupo, como fazer vídeos/apresentações/webites e como gerir a aprendizagem entre pares. Para além disso, vai juntamente com seus colegas de turma, vão mais mais sobre o COVID-19, com esperança de encontrar uma vacina muito em breve. Fiquem seguros!!!

AVALIAÇÃO das aprendizagens

Nesta seção  não são abordados muito profundamente as teorias educativas subjacentes sobre avaliação e testes: há muita coisa que poderíamos colocar neste pequeno relatório de projeto.

Em vez disso, queremos concentrar-nos nos procedimentos que permitam tanto aos alunos como aos seus professores determinar se os objetivos de aprendizagem do Webquest foram alcançados e, de forma positiva, em que medida. Recomendamos que os professores utilizem um procedimento de avaliação comum, que consiste em:

  1. Declarações do aluno (depois de ter sido solicitado a fazê-lo)
    • dizer o que ele aprendeu sobre o assunto (autoavaliação orientada para o conhecimento): agora (depois de passar pelo Webquest) sei que...
    • dizer o que aprendeu sobre si mesmo (avaliação formativa, neste caso autoavaliação de diagnóstico): agora (depois de realizar a Webquest) eu sei sobre mim mesmo que eu ...
      Este conjunto de declarações básicas somam-se a um chamado relatório de aprendizagem, no qual o aluno reflete sobre o que o Webquest lhe trouxe em termos de conhecimento adquirido e novas visões e atitudes  em relação ao assunto.

    Por exemplo:

    • "Aprendi que nos tempos medievais a higiene das pessoas não era uma preocupação que ajudasse a deixar que doenças epidémicas como a Peste causassem tantas baixas" ou: "Aprendi factos e sei que a Terra está a aquecer, mas não consigo entender porque é que  as pessoas foram tão irresponsáveis para poluir o mundo e deixá-la aquecer tanto.
    • "Aprendi que este assunto é mais apelativo para mim do que eu esperaria antecipadamente: talvez deva considerar uma carreira médica". Ou:
      'Os Webquests confirmam o que eu já pensava: Não me importo com o clima e o aquecimento Na verdade,  pensava e ainda penso  que é tudo uma farsa e eu ainda penso!

    O  tipo de avaliação parece mais subjetivo do que é: no seu trabalho padrão de teste e avaliação (e muito mais), simplesmente chamado metodologia (1974), o Prof. A.D. de Groot descreveu como as  ações auto-avaliação do aluno pareciam ser consistentes: quando questionado novamente após 5 ou 10 anos, a sua avaliação seria quase a mesma. De Groot aconselhou os professores a usarem o relatório do aluno como um início para avaliações conjuntas, caminhando para um consenso entre professor e aluno sobre os resultados da aprendizagem e o seu valor para o aluno, mas também comparado com os objetivos de aprendizagem, tal como indicados no currículo.

  2. As realizações de aprendizagem são visíveis na produção realizada pelos alunos: é evidência física: relatórios, respostas a perguntas colocadas no Webquest, apresentações, performance durante apresentações (de preferência gravadas). O professor completa uma grelha de avaliação que indica claramente quais são os resultados de aprendizagem para o aluno. As categorias na grelha podem ser modificadas pelo professor para cobrir mais especificamente o conteúdo de um Webquest.
    Nós aconselhamos os professores a utilizar a grelha para iniciar uma  discussão de avaliação conjunta, visando a consenso ou, pelo menos, o entendimento entre o professor e o aluno sobre os resultados da aprendizagem: se forem alcançados (como previsto no currículo  e comunicado antes do Webquest começar) e em que medida?  Comunicar claramente os objetivos de aprendizagem antes de qualquer atividade de aprendizagem começar, é um requisito de transparência que é amplamente reconhecido na comunidade educativa. A história de tornar explícitos os objetivos de aprendizagem remonta à avaliação 'Bíblia' de Bloom, Hastings e Madaus: "Manual sobre avaliação formativa e sumativa da aprendizagem dos alunos" (1971), um trabalho padrão que também serviu de inspiração para o anteriormente mencionado Prof. De Groot.

O procedimento também se aplica quando alunos trabalharam juntos  num  Webquest.  O professor vai fazer perguntas sobre  contribuições individuais: "O que encontrou?  Qual a parte que escreveu?  Como é que se sabe as ilustrações?  Quem fez a apresentação final?

Todas as provas (de esforços de aprendizagem e resultados mais avaliações conjuntas) estão preferencialmente armazenadas no portfólio de aprendizagem do aluno, ou em qualquer outro sistema de armazenamento adequado (pastas com documentos escritos ou impressos, recolha online de ficheiros, etc. ).

Mudanças de pontos  de vista pessoais e os sentimentos pessoais são mais difíceis  de avaliar e aqui o consenso entre professor e aluno sobre a experiência durante  o processo de aprendizagem  fornece informações essenciais.

A grelha abaixo dá um exemplo de como a avaliação do processo de aprendizagem e os objetivos podem ser trabalhados: que tipo de reações ao Webquest espera e quão valiosas são? O professor é capaz de explicar o valor ou pontuação atribuído a respostas ou apresentações dadas pelos alunos?  O aluno compreende os resultados da avaliação e concorda?  Se um acordo (consenso não é possível, ainda é o professor que decide como valorizar o trabalho do aluno.

Por favor, note que o texto na grelha aborda diretamente o aluno: isto   é importante e é, de facto, um pré-requisito para a utilização da referida grelha de avaliação: destina-se especificamente a permitir uma discussão sobre a aprendizagem entre professor e aluno e não comunicar as  aprendizagens dos alunos a outros que não tiveram qualquer papel direto no Webquest.

grelha de avaliação

 

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

Financiado por

O apoio da Comissão Europeia à produção desta publicação não constitui um aval do seu conteúdo, que reflete unicamente o ponto de vista dos autores, e a Comissão não pode ser considerada responsável por eventuais utilizações que possam ser feitas com as informações nela contidas.

Contacte-nos

t: +357 2466 40 40
f: +357 2465 00 90
escool.it@scool-it.eu

©2019 sCOOL-IT. All Rights Reserved.
Designed & Developed by PCX Management